bot35Guia Interior


“Acidentalmente” encontrei o site do Colour Mirrors e não conseguia deixar de olhar para este frasco, foi o meu primeiro. Quando o recebi em casa achei-o maravilhoso, eram as cores mais bonitas que alguma vez tinha visto. Usei-o durante 1 mês, ao fim dos primeiros dias toda a minha energia e a da minha casa estavam diferentes, trouxe-me paz com a minha família, principalmente com a minha mãe.
Hoje em dia ela já não me julga, vê-me como uma adulta que sou, como uma mulher. Ganhei o meu espaço, sem cobranças.

Marta, Lisboa







bot7Neptuno


Levei este frasco para casa depois de uma consulta com o Rui Diogo, usei-o como quem está com sede e bebe água fresca.
No entanto, levou-me a mergulhar na noite escura da Alma. Nesse lugar perdi a ingenuidade quanto ao ser humano, tornei-me atenta e intuitiva. Fez-me ver que alguém na minha vida não estava a ser honesto comigo e terminei o relacionamento com o meu namorado, o qual vim a descobrir ser um violento agressor. Posso dizer que este frasco me tirou os véus ilusórios. Só posso agradecer ao Colour Mirrors, este maravilhoso sistema energético.

Ana, Odivelas






bot25Confiança


Quando abri o envelope e retirei de lá este frasco senti uma energia muito poderosa, no entanto, senti muita resistência a este frasco. Levei algum tempo para usá-lo realmente.
Com ele aprendi a acalmar-me, a ser observadora, a colocar-me no lugar do outro e a entender o seu ponto de vista. Tolerância é a palavra. Era exactamente aquilo que eu fugia. Também apliquei um pouco do óleo deste frasco na pele onde tinha um quisto e ele desapareceu de um dia para o outro, já passaram 6 meses e não vai ser necessário a cirurgia. Milagre? Talvez pura energia.

Paula, Alcobaça








bot21Coroa dos Magos


Após a minha leitura da cor, decidi trazer este frasco comigo. Intuitivamente senti que aquilo que carregava dentro de mim era um assunto à muito pendente e ele tinha que terminar ali, como tal, tal como o meu psicoterapeuta me haverá sugerido, enchi a banheira e despejei todo o conteúdo do frasco no seu interior. Mergulhei e senti como se anos e anos de carga saíssem das minhas células, fechei os olhos e viajei pela minha mente, o meu problema tinha terminado, já não era mais a formiga de sempre, aquela que trabalha mas nunca é suficiente. Hoje sou um pouco de formiga e um pouco de cigarra. Posso finalmente dançar a música da vida sem me criticar por isso.

Daniel, Lisboa